Eventos /  Cinema la la-ticket green  /  Audiovisual

Programação Completa Mostra Periferia Cinema do Mundo II

Descrição

Confira a programação completa da Mostra Periferia Cinema do Mundo - 2ª edição.

Retire aqui seu ingresso gratuito. A retirada fica disponível na semana da exibição de cada filme.

 

Dia 03, quarta, 19 horas

Rua Ataleia

(Brasil l 2021 l André Novaes Oliveira l 12 mins.)

Em 2011, numa noite sem luz em uma rua de um bairro de periferia, uma família aguarda o retorno da energia elétrica, rodeada por velas que iluminam conversas e pensamentos. Hoje, dez anos depois, a luz tenta impor o seu lugar perante as sombras da memória.

Classificação indicativa: Livre.

 

Pai

(Brasil l 2021 l André Novaes Oliveira l 3 mins )

A volta para casa.

Classificação indicativa: Livre.

 

Movimento

(Brasil l 2021 l Gabriel Martins l 3 mins)

Tereza, nascida na pandemia do Coronavírus em 2020, é cuidada por seus pais Rimenna e Gabriel.

Classificação indicativa: Livre.

 

Incluindo Deus

(Brasil l 2021 l Maurílio Martins l 11 mins)

Aos 81 anos, minha mãe vive sozinha. Ela tem aprendido novas formas de falar com o mundo, incluindo Deus.

Classificação indicativa: Livre.

 


Dia 04, quinta, 19 horas

Abdução

(Brasil l 2021 l Marcelo Lin l 35 mins)

Vovozona suspeita de algo estranho na favela, mas ninguém acredita.  Em um final de semana, após o baile funk, ele finalmente desvenda este mistério. 

Classificação indicativa: 16 anos

 


Dia 05, sexta, 19 horas

Dois

(Brasil l 2021 l Guilherme Jardim e Vinicius Fockiss l 10 mins.)

Bernardo e Luix buscam aproximação afetiva durante o período de distanciamento social. Em meio ao caos, tentam descobrir outras formas de amar.

Classificação indicativa: 14 anos.

 

Talibã

(Brasil l 2021 l Éberson Martins l 6 mins)

Experimentos  dramáticos,  o Talibã  seus conceitos, impactos e desconstruções.

Classificação indicativa: 14 anos.

 

1986 

(Brasil l 2021 l Éberson Martins l 4 mins)

O ateliê do artista Lorenzatto. Como cenário para a produção do filme Pacto Macabro .

Classificação indicativa: 14 anos.

 

Faust in the city

(Brasil l 2021 l Éberson Martins l 12 mins)

Inspirado em Fausto, da literatura alemã, a versão ultra- contemporânea do dilema o homem , o bem e o mal.

Classificação indicativa: 14 anos.

 

Quarto do desassossego 

(Brasil l 2021 l Leonardo Catapreta l 1m30s)

Uma mulher debruçada sobre a janela, um homem que circula o quarto de bicicleta. versos sobre a solidão em par e os processos de embate entre a lucidez e a saúde psíquica de um casal isolado.

Classificação indicativa: Livre.

 

Órbita

(Brasil l 2021 l Leonardo Catapreta l 4m51s)

É quarentena, ela em órbita, ele em terra…

Classificação indicativa: Livre.

 

Dessa vez você não volta

(Brasil l 2021 l Breno Henrique l 13 mins)

Agora só ficou a sua ausência

Classificação indicativa: Livre.


 


Dia 06, sábado, 19 horas

Desabafo

(Brasil l 2021 l Karen Suzano l 2 mins)

Imersa ao seu passado de 2016 a cineasta Karen Suzane motiva uma reflexão pessoal que resulta em sua transformação em meio a Pandemia do coronavírus.

Classificação indicativa: Livre.

 

Ser

(Brasil l 2021 l Denise dos Santos l 8 mins. )

Iniciou-se a pandemia. Desde o início desse novo normal, entre uma saída e outra a trabalho, imagens foram feitas sem expectativas de que se tornasse um material só, o que resultou nesse trabalho. 

Atualmente vivemos em um cotidiano que põe à prova o que é ser humano. Em pé de igualdade vemos que as estatísticas em suas variáveis aumentam e não há fenótipo que aguente esse caos. Sabemos a quem esse cotidiano é mais denso e quem são sim os mais atingidos e isso só é um reflexo de uma realidade despida para quem sabe o que é estar nu. 

SER nasce como uma experimentação de abordar diferentes contextos pessoais e narrativas presentes em uma série de materiais de gaveta. Pensando no contexto mundial sendo pandêmico, Carol é o ser hospedeiro que também é o agente infeccioso, então resolvemos pensar nessa linha. Representamos nesse vídeo o que chamamos de cadeia de transmissão, que é esse ecossistema atual, onde temos a doença, o agente causador, o hospedeiro, o meio ambiente e o vírus, e eles estão concatenados.

Classificação indicativa: Livre.

 

E amanhã, o que será de mim?

(Brasil l 2021 l Labibe Araújo l 11 mins.)

Cassandra é uma mulher que vive bem com sua solitude, mas uma memória até então adormecida chega para confrontar sua quietude.

Classificação indicativa: Livre.

 

A morte da pomba da paz

(Brasil l 2021 l Dea Vieira l 5 mins.)

Após a sua morte, a pomba da paz nos apresenta a sua visão do inferno. Uma viagem metafórica que nos faz questionar o próprio conceito da paz e da sociedade atual.

Classificação indicativa: Livre.

 

Desocupados

(Brasil l 2021 l Dea e Marcus Vieira l 5 mins.)

Gênero experimental em forma de mocumentário. A rotina de uma comunidade periférica afetada pela pandemia de Covid 19. A aliteração de imagens dos locais ocupados e vazios.. Da cacofonia e do silêncio. Uma microvisão da pandemia

Classificação indicativa: Livre.

 


Dia 07, domingo, 19 horas

Sete Anos em Maio

(Brasil l 2019 l Affonso Uchoa l 42 mins.)

Em uma noite de maio, sete anos atrás, Rafael chegava em casa depois do trabalho. Quando abria o portão, alguém chamou seu nome. Ele olhou pro lado e viu pessoas que não conhecia. Rafael saiu da sua casa carregado pelos desconhecidos e nunca mais voltou. Desde então ele vive como se aquela noite nunca tivesse terminado.

Classificação indicativa: 14 anos

 


Dia 10, quarta, 19 horas

Raiz

(Brasil l 2021 l Wallison Culu l 3m56s)

Meus  Sentimentos no meu lugar de nascimento,  minha Quebrada, minha cultura, minha dança. Explorando minhas emoções, prevendo minhas reações, não deixando o meu fundamento de se fazer Dança, minha dança minha missão. 

 

23 minutos

(Brasil l 2021 l Rodrigo Beetz l 23 mins)

Um grupo de jovens amigos encontram na música, a resistência frente ao mercado de trabalho e as adversidades sociais.

Classificação indicativa: 14 anos

 

Beagá, a Capital do Hip Hop

(Brasil l 2021 l Artur Ranne l 30 mins)

Curta-metragem documental, realizado pela Encruza Produções e dirigido por Artur Ranne. O filme busca contar a história do Hip Hop belohorizontino que é reconhecido hoje como um dos polos nacionais da cultura Hip Hop , através  das visões de artistas e produtores locais  de diferentes gerações desde 1983 ano que marca o início desta fundamental cultura urbana até a atualidade. 

 


Dia 11, quinta, 19 horas

Trindade

(Brasil l 2021 l Rodrigo Meireles l 28 mins.)

Trindade ouve os ecos da escravidão desde menina. Agora, é ela quem canta. Personagem que dá nome ao filme nos revela sua história de abusos, alcoolismo, fé e poder.

Classificação indicativa: 12 anos

 

4 bilhões de infinitos

(Brasil l 2021 l Marco Antônio Pereira l 14 mins.)

Uma família vive com a energia de casa cortada. Enquanto a mãe trabalha, seus filhos ficam em casa e conversam sobre ter esperança.

Classificação indicativa: Livre

 


Dia 12, sexta, 19 horas

a.p.n.

(Brasil l 2021 l Desali l 9m51s)

a.p.n., aliança periférica nacional é um grupo de eco guerrilha rural que atua no final do bairro Nacional em uma área de mata fechada próximo de uma vila entre Ribeirão das Neves e Contagem, propondo oficinas para crianças sobre consciência e preservação do meio ambiental em tempos de pandemia sanitária a partir do convite do grupo de música experimental Q.I (quarta de improviso).

Classificação indicativa: Livre

 

Escuridão à luz

(Brasil l 2021 l  P.drão l 14 mins)

Mini documentário que conta  um resumo da história de 3 jovens da periferias de Belo Horizonte e região; que estiveram no fundo do poço e conseguiram  sobressair, saindo da escuridão e encontrando a luz em suas vidas.

Classificação indicativa: Livre

 


Dia 13, sábado, 19 horas

Barreiridades

(Brasil l 2021 l Luiz Cláudio l 42 mins.)

Barreiridades é um documentário realizado pelo Instituto Macunaíma de Eultura - Escola de cidadania que revela a rica e diversa história deste bairro que tem em seu passado uma origem colonial e se transformou em uma macrorregião superpopulosa de Belo Horizonte. Suas conquistas e dificuldades narradas por alguns de seus moradores que são testemunhas das transformações ocorridas durante os anos, relatando sobre o impacto delas em suas vidas e compartilhando suas visões para o futuro deste local que tem vida própria nos corações e mentes de seus habitantes. 

Classificação indicativa: Livre

 


Dia 14, domingo, 19 horas

Olhos de Erê

(Brasil l 2021 l Luan Manzo e Bruno Vasconcelos l 11 mins.)

Luan Manzo tem seis anos e é bisneto da matriarca Mametu Muiande do Quilombo Manzo N’gunzo Kaiango, um dos quilombos reconhecidos pela cidade de Belo Horizonte. Fundado em 1970 por um preto velho, pai Benedito, Manzo é palácio de rei, governado por uma rainha. Ali germinam sementes e crianças, num processo educativo - a afrobetização - que afirma a organização, o coletivo, a ancestralidade e a circularidade do povo negro. As crianças no quilombo crescem sabendo-se respeitadas, e por isso Luan percorre aqui o espaço sagrado, descrevendo-o a nós com segurança, conhecimento, rigor e frescor infantil. É ele quem, com um celular em mãos, propõe este filme.

Classificação indicativa: Livre

 

Matriarcas da Serra

(Brasil l 2021 l Simone Moura, Deivson Marcos e Gabriela Matos l 90 mins.)

Sol precisa fazer um trabalho escolar sobre a comunidade em que mora. Na busca por informações irá se deparar com acontecimentos e personagens que não consta nos livros sobre a história da cidade. Além da história sobre a comunidade, Sol aos poucos irá montar o quebra-cabeça da própria história.

Classificação indicativa: Livre

 


Dia 17, quarta, 19 horas (reprise)

Escuridão à luz

(Brasil l 2021 l  P.drão l 14 mins)

Mini documentário que conta  um resumo da história de 3 jovens da periferias de Belo Horizonte e região que estiveram no fundo do poço e conseguiram  sobressair, saindo da escuridão e encontrando a luz em suas vidas.

Classificação indicativa: Livre

 


Dia 18, quinta, 19 horas (reprise)

Desabafo

(Brasil l 2021 l Karen Suzano l 2 mins. )

Imersa ao seu passado de 2016 a cineasta Karen Suzane motiva uma reflexão pessoal que resulta em sua transformação em meio a Pandemia do coronavírus.

Classificação indicativa: Livre.

 

Ser

(Brasil l 2021 l Denise dos Santos l 8 mins.)

Iniciou-se a pandemia. Desde o início desse novo normal, entre uma saída e outra a trabalho, imagens foram feitas sem expectativas de que se tornasse um material só, o que resultou nesse trabalho. 

Atualmente vivemos em um cotidiano que põe à prova o que é ser humano. Em pé de igualdade vemos que as estatísticas em suas variáveis aumenta e não há fenótipo que aguente esse caos. Sabemos à quem esse cotidiano é mais denso e quem são sim os mais atingidos e isso só é um reflexo de uma realidade despida para quem sabe o que é estar nu. 

SER nasce como uma experimentação de abordar diferentes contextos pessoais e narrativas presentes em uma série de materiais de gaveta. Pensando no contexto mundial sendo pandêmico, Carol é o ser hospedeiro que também é o agente infeccioso, então resolvemos pensar nessa linha. Representamos nesse vídeo o que chamamos de cadeia de transmissão, que é esse ecossistema atual, onde temos a doença, o agente causador, o hospedeiro, o meio ambiente e o vírus, e eles estão concatenados.

Classificação indicativa: Livre.

 

E amanhã, o que será de mim?

(Brasil l 2021 l Labibe Araújo l 11 mins.)

Cassandra é uma mulher que vive bem com sua solitude, mas uma memória até então adormecida chega para confrontar sua quietude.

Classificação indicativa: Livre.

 

A morte da pomba da paz

(Brasil l 2021 l Dea Vieira l 5 mins.)

Após a sua morte, a pomba da paz nos apresenta a sua visão do inferno. Uma viagem metafórica que nos faz questionar o próprio conceito da paz e da sociedade atual.

Classificação indicativa: Livre.

 

Desocupados

(Brasil l 2021 l Dea e Marcus Vieira l 5 mins.)

Gênero experimental em forma de mocumentário. A rotina de uma comunidade periférica afetada pela pandemia de Covid 19. A aliteração de imagens dos locais ocupados e vazios.. Da cacofonia e do silêncio. Uma microvisão da pandemia

Classificação indicativa: Livre.

 


Dia 19, sexta, 19 horas (reprise)

Trindade

(Brasil l 2021 l Rodrigo Meireles l 28 mins.)

Trindade ouve os ecos da escravidão desde menina. Agora, é ela quem canta. Personagem que dá nome ao filme nos revela sua história de abusos, alcoolismo, fé e poder.

Classificação indicativa: 12 anos

 

4 bilhões de infinitos

(Brasil l 2021 l Marco Antônio Pereira l 14 mins.)

Uma família vive com a energia de casa cortada. Enquanto a mãe trabalha, seus filhos ficam em casa e conversam sobre ter esperança.

Classificação indicativa: Livre

 


Dia 20, sábado, 19 horas (reprise)

Abdução

(Brasil l 2021 l Marcelo Lin l 35 mins)

Vovozona suspeita de algo estranho na favela, mas ninguém acredita.  Em um final de semana, após o baile funk, ele finalmente desvenda este mistério. 

Classificação indicativa: 16 anos

 


Dia 21, domingo, 19 horas (reprise)

Dois

(Brasil l 2021 l Guilherme Jardim e Vinicius Fockiss l 1min)

Bernardo e Luix buscam aproximação afetiva durante o período de distanciamento social. Em meio ao caos, tentam descobrir outras formas de amar.

Classificação indicativa: 14 anos.

 

Talibã

(Brasil l 2021 l Éberson Martins l 6 mins.)

Experimentos  dramáticos,  o Talibã  seus conceitos, impactos e desconstruções.

Classificação indicativa: 14 anos.

 

1986 

(Brasil l 2021 l Éberson Martins l 4 mins.)

O ateliê do artista Lorenzatto. Como cenário para a produção do filme Pacto Macabro .

Classificação indicativa: 14 anos.

 

Faust in the city

(Brasil l 2021 l Éberson Martins l 12 mins.)

Inspirado em Fausto, da literatura alemã, a versão ultra- contemporânea do dilema do homem , o bem e o mal.

Classificação indicativa: 14 anos.

 

Quarto do desassossego 

(Brasil l 2021 l Leonardo Catapreta l 1m30s)

Uma mulher debruçada sobre a janela, um homem que circula o quarto de bicicleta. versos sobre a solidão em par e os processos de embate entre a lucidez e a saúde psíquica de um casal isolado.

Classificação indicativa: Livre.

 

Órbita

(Brasil l 2021 l Leonardo Catapreta l 4m51s)

É quarentena, ela em órbita, ele em terra…

Classificação indicativa: Livre.

 

Dessa vez você não volta

(Brasil l 2021 l Breno Henrique l 13 mins.)

Agora só ficou a sua ausência

Classificação indicativa: Livre.

 


Dia 25, quinta, 19 horas (reprise)

Raiz

(Brasil l 2021 l Wallison Culu l 3m56s)

Meus  Sentimentos no meu lugar de nascimento,  minha Quebrada, minha cultura, minha dança. Explorando minhas emoções, prevendo minhas reações, não deixando o meu fundamento de se fazer Dança, minha dança minha missão. 

 

23 minutos

(Brasil l 2021 l Rodrigo Beetz l 23 mins.)

Um grupo de jovens amigos encontram na música, a resistência frente ao mercado de trabalho e as adversidades sociais.

Classificação indicativa: 14 anos

 

Beagá, a Capital do Hip Hop

(Brasil l 2021 l Artur Ranne l 30 mins)

Curta-metragem documental, realizado pela Encruza Produções e dirigido por Artur Ranne. O filme busca contar a história do Hip Hop belohorizontino que é reconhecido hoje como um dos polos nacionais da cultura Hip Hop , através  das visões de artistas e produtores locais  de diferentes gerações desde 1983 ano que marca o início desta fundamental cultura urbana até a atualidade.

 


Dia 26, sexta, 19 horas (reprise)

Sete Anos em Maio

(Brasil l 2019 l Affonso Uchoa l 42 mins.)

Em uma noite de maio, sete anos atrás, Rafael chegava em casa depois do trabalho. Quando abria o portão, alguém chamou seu nome. Ele olhou pro lado e viu pessoas que não conhecia. Rafael saiu da sua casa carregado pelos desconhecidos e nunca mais voltou. Desde então ele vive como se aquela noite nunca tivesse terminado.

Classificação indicativa: 14 anos

 


Dia 27, sábado, 19 horas (reprise)

Olhos de Erê

(Brasil l 2021 l Luan Manzo e Bruno Vasconcelos l 11 mins.)

Luan Manzo tem seis anos e é bisneto da matriarca Mametu Muiande do Quilombo Manzo N’gunzo Kaiango, um dos quilombos reconhecidos pela cidade de Belo Horizonte. Fundado em 1970 por um preto velho, pai Benedito, Manzo é palácio de rei, governado por uma rainha. Ali germinam sementes e crianças, num processo educativo - a afrobetização - que afirma a organização, o coletivo, a ancestralidade e a circularidade do povo negro. As crianças no quilombo crescem sabendo-se respeitadas, e por isso Luan percorre aqui o espaço sagrado, descrevendo-o a nós com segurança, conhecimento, rigor e frescor infantil. É ele quem, com um celular em mãos, propõe este filme.

Classificação indicativa: Livre

 

Matriarcas da Serra

(Brasil l 2021 l Simone Moura, Deivson Marcos e Gabriela Matos l 90 mins.)

Sol precisa fazer um trabalho escolar sobre a comunidade em que mora. Na busca por informações irá se deparar com acontecimentos e personagens que não constam nos livros sobre a história da cidade. Além da história sobre a comunidade, Sol aos poucos irá montar o quebra-cabeça da própria história.

Classificação indicativa: Livre

 


Dia 28, domingo, 19 horas (reprise)

Rua Ataleia

(Brasil l 2021 l André Novaes Oliveira l 12 mins.)

Em 2011, numa noite sem luz em uma rua de um bairro de periferia, uma família aguarda o retorno da energia elétrica, rodeada por velas que iluminam conversas e pensamentos. Hoje, dez anos depois, a luz tenta impor o seu lugar perante as sombras da memória.

Classificação indicativa: Livre.

 

Pai

(Brasil l 2021 l André Novaes Oliveira l 3 mins. )

A volta para casa.

Classificação indicativa: Livre.

 

Movimento

(Brasil l 2021 l Gabriel Martins l 3 mins.)

Tereza, nascida na pandemia do Coron34avírus em 2020, é cuidada por seus pais Rimenna e Gabriel.

Classificação indicativa: Livre.

 

Incluindo Deus

(Brasil l 2021 l Maurílio Martins l 11 mins.)

Aos 81 anos, minha mãe vive sozinha. Ela tem aprendido novas formas de falar com o mundo, incluindo Deus.

Classificação indicativa: Livre.

 

 

Informações
Data
a
Entrada
Gratuito
Este evento faz parte do Circuito Municipal de Cultura
Sim