Eventos /  Encontro la la-ticket green  /  Comunicação

Lives do "O Tempo" - Mês Junho

Descrição

Representantes de entidades do setor de turismo são os próximos convidados das Lives de O Tempo, que começam segunda-feira, agora em novo horário, às 15h. O bate-papo é transmitido pela rádio Super, pelo portal O Tempo e suas redes sociais no Facebook, YouTube e Twitter, com mediação dos jornalistas Helenice Laguardia (Minas S/A), Paulo Campos (editor de turismo) e Karlon Aredes (editor de economia).

Entre os convidados estão Paulo Solmucci, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Paulo Miguel Junior, presidente da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), Eduardo Sanovicz, presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), e Fabiana Giorgini, presidente da Associação do Circuito do Ouro.

O tema desse segundo ciclo de lives do turismo é a pandemia de coronavírus, seu impacto nos segmentos e as perspectivas de retomada. Desde 17 de março, decretos impuseram o isolamento social e afetaram seriamente os segmentos que trabalham com turismo. Bares e restaurantes fecharam as portas; companhias aéreas reduziram drasticamente os voos.

Os turistas também sumiram dos principais destinos turísticos. Em Minas Gerais, eventos tradicionais, como a Semana Santa, que impulsionavam a economia de cidades históricas, foram automaticamente cancelados. Hoje, circuitos, como o do Ouro, por exemplo, aguardam o controle da propagação da Covid-19 para poder voltar à normalidade.

Dia 8: Paulo Solmucci (Abrasel)

Engenheiro mecânico com MBA em administração pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o mineiro Paulo Solmucci é presidente-executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). Também é diretor da União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (UNECS) e membro do Conselho Nacional de Turismo e do Conselho Deliberativo da Embratur.

Na última semana, a Abrasel acionou a Justiça para solicitar a reabertura dos bares e restaurantes na capital mineira. Desde março, os estabelecimentos estão apenas autorizados a atender só pelos sistemas de delivery ou take away. A abertura gradual da cidade, iniciada em 25 de maio e que teria quatro etapas, foi interrompida semana passada pelo prefeito Alexandre Kalil, por conta de uma aceleração da propagação de coronavírus.

Solmucci alega que os estabelecimentos estão preparados para reabrir as portas com total segurança. Conhecida como a "capital dos bares", a região metropolitana de Belo Horizonte tem hoje, segundo a Abrasel, cerca de 20 mil bares e restaurantes que geram cerca de 130 mil empregos diretos. Até maio, o setor tinha registrado cerca de 35 mil demissões.

Dia 9: Paulo Miguel Junior (Abla)

Paulo Miguel Junior é empresário com atuação nos setores de aluguel de veículos, seguros e transportes. Membro dos conselhos municipal e estadual de Turismo de São Paulo e integrante do comitê da Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo (ARTESP), ele é também presidente do Conselho Nacional da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla).

Levantamento recente mostrou que turismo, hotelaria e lazer são os segmentos de maior queda na receita em decorrência da pandemia, ao lado de veículos e autopeças. Além disso, esses setores também serão os de recuperação mais lenta, em até 18 meses. Nesse leque de mercado estão as locadoras de automóveis, com queda estimada de 90% no movimento.

Diretor-executivo do Grupo Paluana, Junior sentiu diretamente a diminuição dos negócios, principalmente por conta da paralisação da indústria automotiva. Mesmo com a queda na locação de diárias e por aplicativos, o dirigente se mostra otimista com a recuperação do setor. A pandemia está, segundo ele, estimulando a utilização de transporte individual.

Dia 10: Eduardo Sanovicz (Abear)

Graduado em história, Eduardo Sanovicz tem longa experiência na área de turismo. Já foi professor na Universidade de São Paulo, trabalhou na éra de marketing e assumiu a direção de entidades importantes, como a Reed Exhibitions Alcantara Machado, International Congress & Convention Association (ICCA), Embratur e São Paulo Convention & Visitors Bureau. Hoje, ele é presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

De todos os setores afetados pela pandemia de coronavírus, o aéreo vive uma crise em particular. Com fronteiras fechadas em vários países e restrição à circulação de pessoas, a demanda por serviços despencou. Em abril, as empresas associadas à Abear registraram queda de 93,09% nos voos domésticos e redução de 98,13% nas viagens internacionais.

Nos meses seguintes ao início da pandemia, Azul, Gol, Latam começam a operar a malha essencial. Uma lenta retomada começou a se esboçar em maio. De lá para cá, uma Medida Provisória foi editada pelo governo federaL, permitindo às empresas a cobrança de taxas e multas de cancelamento dos consumidores que pedissem devolução do dinheiro do bilhete.

Mais recentemente, arrasta-se no governo o debate em torno de um pacote financeiro, via BNDES, para socorrer as companhias em dificuldade. Também um outro tema veio à tona. Com o objetivo de evitar a excessiva judicialização no setor, um relatório da MP 925 prevê a exclusão da responsabilidade civil das empresas nas relações de consumo.

Dia 11: Fabiana Giorgini (Circuito do Ouro)

MBA em comunicação e marketing em turismo pela Universidade Cândido Mendes (RJ), a Fabiana Giorgini é gestora de turismo no município de Nova Lima e atual presidente da Associação do Circuito do Ouro, que reúne cerca de 15 cidades. Atualmente, em Minas, existem cerca de 43 circuitos turísticos que foram extremamente afetados pela pandemia.

Segundo dados da Federação de Circuitos Turísticos do Estado de Minas Gerais (Fecitur), as cidades históricas tiveram uma queda de 85% no volume de turistas. Com a pandemia, a maioria dos municípios - muitos deles que vivem exclusivamente de turismo - precisaram fechar o comércio e os atrativos, criaram barreiras sanitárias e viram os turistas sumirem.

Nesse momento, as cidades do Circuito do Ouro preparam protocolos sanitários para retomar o turismo no momento oportuno. Próximos de Belo Horizonte, as cidades do circuito não só oferecem história e cultura, mas natureza preservada. Levantamento recente do Ministério do Turismo indica que o carro-chefe da retomada será o turismo regional.

Localização
Online
Video

 

Data
a
Segundo ciclo de lives do turismo começa nesta segunda-feira.

Representantes da aviação, de bares e restaurantes, de locação de veículos e de destinos turísticos mineiros falam do impacto da pandemia no setor e das perspectivas de retomada.
Entrada
Gratuito