Eventos /  Exposição la la-ticket green  /  Cultural

Exposição “Vaivém” no Centro Cultural Banco do Brasil BH

EVENTO CANCELADO
EVENTO CANCELADO
Descrição

Belo Horizonte, fevereiro de 2020. Seja nas instalações de Tunga, Hélio Oiticica e Ernesto Neto, nas obras de Arissana Pataxó, nos quadros de Tarsila do Amaral, desenhos de Cândido Portinari ou no cinema, lá está ela: a rede de dormir. Parte do imaginário brasileiro, sua representação em mais de 300 obras de 141 artistas (entre eles, 32 indígenas) poderá ser vista na exposição Vaivém, que será inaugurada no Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte (CCBB BH) no dia 11 de março.

Ao longo de sua itinerância pelos CCBBs de São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, Vaivém reuniu mais de meio milhão de visitantes. A exposição, patrocinada pelo Banco do Brasil, com coordenação geral da arte3 conceito, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura nº 8.313/90, será exibida até 18 de maio no CCBB BH, diariamente (exceto às terças-feiras), de 10h às 22 horas. A entrada é franca e os ingressos podem ser retirados pelo site eventim.com.br ou na bilheteria do centro cultural (detalhes do serviço mais abaixo).

Ocupando o terceiro andar e o pátio do CCBB, a mostra reúne pinturas, esculturas, instalações, performances, fotografias, vídeos, revistas em quadrinhos e documentos sob curadoria do historiador e crítico da arte Raphael Fonseca, que também é curador do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC - Niterói). Exibindo obras clássicas do século 16 aos dias de hoje, ele ressalta que Vaivém transita entre tempos, linguagens e artistas.

“Longe de reforçar os estereótipos da tropicalidade, esta exposição investiga as origens das redes e suas representações iconográficas: ao revisitar o passado conseguimos compreender como um fazer ancestral criado pelos povos ameríndios foi apropriado pelos europeus e, mais de cinco séculos após a invasão das Américas, ocupa um lugar de destaque no panteão que constitui a noção de uma identidade brasileira”, sublinha o curador. Fonseca, que pesquisou o tema por mais de quatro anos para sua tese de doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UERJ), propôs a criação de seis núcleos temáticos que transitam pela história e propõem uma ressignificação de estereótipos.

Localização
Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB BH - Praça da Liberdade, 450 - Bairro Funcionários
Centro-Sul
Video

 

Data
a
A partir de 11 de março, o público poderá visitar a mostra que reúne o trabalho de 141 artistas, desde ícones como Tarsila do Amaral e Cândido Portinari à novíssima geração como o coletivo Opavivará!, com a instalação “Rede Social”, que é um convite à desaceleração.
Entrada
Gratuito