Iate Tênis Clube

Endereço: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 1350 - São Luiz
Telefone: (31) 3490-8400
Funcionamento: terça e quinta das 7h às 23h, quarta e sexta das 7h às 18h, sábado e  domingo das 7h às 19h.
Consulte condições especiais de funcionamento e acesso devido à Covid-19
Mais informações: Iate Tênis Clube
Acesso gratuito para visitação dos painéis de Cândido Portinari

Iate Tênis Clube, Lagoa da Pampulha, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Acervo Embratur

Dentro do projeto proposto para a Pampulha, coube ao Iate Golfe Clube, hoje Iate Tênis Clube, o papel de equipamento público de lazer e esportes da população. O objetivo era aproveitar o potencial náutico do espelho d’água para a prática de esportes, como o remo e a vela. Seus associados podiam desfrutar dessas práticas esportivas, realizadas na lagoa, além das piscinas, quadras e salões de festas.

Faça uma visita virtual ao Iate Tênis Clube

Seu edifício se localiza na borda do lago, apresentando-se como um grande navio às suas margens - intenção revelada em seu projeto pelo deck em forma de proa e o elemento vertical que o adorna, que lembra um mastro para velas. Este edifício de linhas sóbrias explora, ainda, diversos elementos da arquitetura moderna, como rampas, panos envidraçados e brises-soleil (janelas em fita que impedem a incidência direta de sol), além da sua notável cobertura, o “telhado borboleta”.
 
Internamente, prevalecem as formas livres que tanto agradavam a Niemeyer, abrigando no primeiro andar espaços como garagem de barcos, lavanderia e vestiários, e, no segundo piso, o salão de festas, o restaurante e o palco para orquestra. Estes espaços guardam também as telas “Jogo” (ou “Suicídio da Consciência”), de Cândido Portinari, e “O Esporte”, de Roberto Burle Marx. Do seu terraço, tem-se uma vista privilegiada para os outros bens do Conjunto, como o Museu de Arte da Pampulha e a Casa do Baile.

Painel de Burle Marx O Esporte - Iate Tênis Clube, Pampulha, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Antônio Vitor Campo Maia / Acervo Belotur

Seus jardins foram projetados tendo como referência o uso para o lazer e a prática de esportes, criando espaços de contemplação e convívio. Os jardins também se destinavam a marcar os limites entre a via de circulação e o clube, já que não existiam muros no local. 
 
Em 1961, o clube foi vendido para a iniciativa privada e transformado no Iate Tênis Clube. O espaço continua sendo um centro de lazer e seus sócios desfrutam das piscinas, quadras e outros espaços sociais que o equipamento oferece.