Descrição

No dia 30 de janeiro, às 14 horas, o Muquifu promove uma roda de conversa sobre o cenário político e social conturbado em que vivemos, quando o Cleiton Gos irá mediar uma conversa entre Bianca de Sá, Nila Rodrigues e Rosana Martins. Nesse bate-papo serão abordados temas relacionados aos “Percursos do Sagrado” através da análise de alguns “Objetos e Manifestações” que fazem parte das coleções e do acervo do Muquifu.

A proposta é construir saberes que dialoguem com experiências vividas nas tradições da Folia de Reis e dos grupos ligados ao Congado, através das exposições “Meu Reino sem Folia” e “Uma Rainha na Favela”, respectivamente. Partiremos da reflexão a partir de segmentos que se encontram em lugares de subalternização devido aos processos coloniais, como o caso do racismo que enfrentam as tradições pautadas na oralidade, onde os principais meios de preservação de suas memórias encontram-se atrelados a processos de ritualística afro-diaspórica e indígena. A importância deste tema se configura pela crescente onda de ataques a terreiros e outros espaços religiosos, através de discursos de ódio e intolerância cultural e religiosa.

 

Na roda:

Rosana Martins
38 anos moradora do Morro do Papagaio em Belo Horizonte.
2° Grau completo, auxiliar de cozinha, mas no momento não estou trabalhando. Sou filha da Maria Marta da Silva Martins, de 78 anos, Rainha de Santa Efigênia, da Guarda de Marujo de São Cosme e São Damião de Belo Horizonte/MG. Fui dançante durante muitos anos dessa mesma Guarda e tenho muito orgulho de ter participado disso. Tenho um Amor muito radical pelo Congado. Foram momentos únicos que vivemos lá, que vou guardar pra sempre no meu coração.... Sou um ex dançante e filha de uma RAINHA.

Nila Rodrigues Barbosa
Graduação em História, mestrado em Estudos Étnicos e Africanos e Aperfeiçoamento em Culturas e História dos Povos Indígenas. Atuou na implementação de políticas de cultura tendo sido gerente de centro cultural. Foi gerente na Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. Foi Conselheira Municipal de Promoção da Igualdade Racial em Belo Horizonte/MG. É pesquisadora do patrimônio cultural e palestrante. Fundadora e pesquisadora na empresa Patrimônio e Etnicidade, onde também ministra cursos e oficinas em patrimônio cultural e políticas públicas. Autora do livro, Museus e Etnicidade e coautora do livro paradidático Quilombolas: Somos parte desta história. Membro titular da Comissão Estadual do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade - IPHAN/MG, edição 2020. Ganhadora do Prêmio Zumbi de Cultura - edição 2020, na categoria Atuação Política.
 

Bianca de Sá
É multiartista, arte educadora e jornalista especialista em fotografia contemporânea. Seu trabalho autoral transita, principalmente, entre a palavra e a imagem. Gênero, sexualidade, etnografia de grupos tradicionais e urbanos estão entre suas temáticas de interesse, sempre atravessados pelos conceitos de arte relacional, memória, auto-ficção e mixagem. Fala também de algumas sutilezas e do cotidiano. Participou de diversas exposições coletivas no Brasil e no exterior.

Video

 

Data
Entrada
Gratuito